Mundo GTV | O seu portal de notícias

Notícias Entretenimento

Waldecy de Deus, artista plástica autodidata produz obra em tributo ao Rei Pelé

Obra destinada ao Museu Pelé em Santos, SP.

Waldecy de Deus, artista plástica autodidata produz obra em tributo ao Rei Pelé
Divulgação
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Waldecy de Deus, artista plástica autodidata natural da Bahia, é conhecida por seus traços marcantes da técnica naif. Com uma carreira que se iniciou em 1967, a artista já conquistou diversos reconhecimentos ao longo dos anos.

Recentemente, a artista produziu uma obra de 1,60m x 2m como um tributo ao Rei Pelé, em homenagem ao segundo aniversário de sua passagem, que será em dezembro de 2024. Pretendendo destiná-la ao Museu Pelé em Santos, SP, a artista demonstra seu talento e devoção ao grande ídolo do futebol brasileiro.

Com participações em diversas mostras e eventos nacionais e internacionais, Waldecy de Deus teve sua obra destacada em importantes espaços e meios, como a Luxus Magazine, a cidade de Campos do Jordão e o Birmingham Festival of Arts, nos Estados Unidos.

Além disso, a artista teve sua obra publicada nas crônicas do crítico Oscar de Ambrósio, catalogada duas vezes no Dicionário Lousada e recebeu em sua residência o Cônsul Cultural Americano Allan Fisher e sua esposa Florence, em 1982. A artista também conquistou seu espaço tendo uma de suas obras em Museus em Paris – France.

Com um currículo vasto em acessibilidade pelo mundo, Waldecy de Deus continua encantando o público com suas obras únicas e cheias de personalidade. Sua trajetória mostra o talento e a dedicação de uma artista que não só celebra a arte, mas também presta homenagens memoráveis como a que planeja fazer ao Rei Pelé.

 

 

SOBRE A ARTISTA

Waldecy – irmã do também premiado artista Waldomiro de Deus – é conhecida em todo o país e no exterior. Seu estilo naif de pintura têm conquistado os críticos de arte.

Nascida em 10 de março de 1952, em Boa Nova, BA, ela passou seus primeiros anos pescando, andando a cavalo e fazendo armadilhas para caçar passarinhos. Em 1967, seguindo a esteira do irmão Waldomiro de Deus, que começara uma carreira de sucesso como pintor em São Paulo, veio para a maior cidade da América Latina em busca de um futuro promissor.

Foi também em São Paulo que Waldecy começou a pintar. Suas primeiras telas tratavam de morte, com velórios e caixões, fato que ela atribui a ser uma criança muito pensativa que tinha muitos pesadelos. Estimulada, porém, pela boa receptividade de seus primeiros trabalhos, prosseguiu na carreira, pintando também casamentos e cenas de folclore, como lobisomens e mulas-sem-cabeça.

Progressivamente, o trabalho inicial de cunho mais realista foi cedendo espaço a cenas do cotidiano cada vez mais idealizadas. O óleo também cedeu o lugar à tinta acrílica e o tom sombrio, pouco a pouco, abandonou as telas em função de telas coloridas e , mais recentemente, de flores.

 

Um tributo ao Rei Pelé por Waldecy de Deus 

Com mais de 30 anos de carreira e mais de 600 quadros pintados, Waldecy já teve obras expostas na Alemanha, Suíça, França, Itália e EUA. Com grande freqüência, expõe seus trabalhos no Conjunto Nacional, em São Paulo, espaço nobre da cidade, localizado na esquina das tradicionais avenidas Paulista e Augusta. No local, desde 1999, há um painel intitulado Festa na Avenida Paulista, que oferece uma visão romântica da principal avenida da cidade.

Waldecy, que mora em Carapicuíba, SP, também realizou, em 2000, o painel A internet invadindo o mundo para o Groupe Coface. Na parte superior da tela, surge uma pomba soprando inteligência num cérebro oco, indicando como as novas formas de comunicação podem auxiliar o ser humano em sua busca pelo conhecimento.

Em suma, a vida, nas telas de Waldecy de Deus, é mostrada numa plenitude romântica. A metrópole fica bonita, a internet torna as pessoas mais felizes e a miséria cede espaço ao congraçamento entre as pessoas. Há em suas telas alegria de viver, fé no futuro e gosto pelo próprio trabalho. Para ela, pintar é um ato de amor à vida e de confiança no futuro. Ao ver as cenas reais do cotidiano, ela se inspira para criar, com suas paisagens e flores, um mundo todo particular, idealizado e feliz, fruto de seu engenho colorido e do talento de sua arte.

 

Foto: Acervo pessoal

Fonte : Assessoria de imprensa

Edição: Costa Consulting CO| Sula Costa MTB 0003600|GO

FONTE/CRÉDITOS: Sula Costa
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Você está no atendimento da Mundo GTV! Aguarde,iremos te atender em breve.